Mídia Turis

Ame Laroc Festival: um Carnaval à parte com música boa e experiências exclusivas

Por Colaborador MídiaTuris

Um Carnaval diferente que proporcionou dois dias de experiências exclusivas aliadas com muita música boa. O Ame Laroc Festival reuniu mais de 30 nomes nacionais e internacionais em conjunto com uma mega estrutura para receber amantes de eletrônica de cada canto do país – tanto que nem as pancadas de chuva espaçadas atrapalharam o rolê.

O sábado de Carnaval começou com tudo no Laroc Stage com apresentações pra lá de especiais. Os destaques do primeiro dia ficam por conta de Vinne e Steve Aoki, o qual levou o publico a loucura com seu EDM e presença de palco – tinha até gente segurando cartaz para levar bolada na cara.

Ame Laroc Festival: um Carnaval à parte com música boa e experiências exclusivas
D-Nox no primeiro dia de Ame Laroc Festival

Já no AME Stage, a famosa casinha underground, D-Nox e Binaryh mostraram o porquê são considerados os “queridinhos do Brasil”. Para fechar o dia, o consagrado Gabe entregou um set recheado e estendeu a festa até as 5:30 da manhã, levando todo mundo à loucura.

No segundo-dia de festival, o clima era ainda mais quente – literalmente, não estava ventando – e os artistas incendiaram as duas pistas com sets de tirar o fôlego. No Laroc Stage, Matheus Meca, um dos nomes de mais ascensão entregou tracks que não saem da boca do povo, enquanto John Summit mostrou para que veio e lançou “pedrada atrás de pedrada”.

Ame Laroc Festival: um Carnaval à parte com música boa e experiências exclusivas
John Summit no Laroc Stage

Ao subir a pista para o AME Stage, tudo pronto para uma sequência perfeita: ZAC, Kasablanca – que superaram todas as expectativas e deixou um gostinho de “quero mais”, Space Motion, Space 92 e Scorsoul, que fecharam o festival às 6:00 da manhã com remixes de Innerbloom e Gravity, de Boris Brejcha.

Enquanto os artistas deram o nome em cima do palco, a organização fez um verdadeiro show nas experiências exclusivas e sensoriais da festa. O público podia atravessar da Ame para a Laroc de tirolesa ou então caminhar por uma passarela iluminada por leds e essências – a junção criava um visual místico entre as duas pistas.

Além disso, a galera podia se esbaldar na personalização de camisetas por artistas plásticos feitos na hora, fazer vídeos com uma câmera 360º, marcar a pele com um flash tattoo daqueles e se integrar no mundo da arte com exposições por todas as partes.

Sinta a experiência: