Destinos

Quito, cidade repleta de motivos para se visitar e gastar pouco

Localizada na metade do mundo (latitude 0º 0’ 0”), a cidade de Quito (Equador) combina arquitetura pré-colombiana e colonial com ares cosmopolitas de uma capital moderna.

A capital equatoriana possui aproximadamente 2,5 milhões de habitantes e conta com uma completa infraestrutura hoteleira, serviços turísticos de qualidade, centros comerciais e teatros reconhecidos mundialmente, sendo um destino com diversos benefícios para aqueles que desejam conhecer a região e não querem gastar muito.

Créditos: LucBrousseau/iStock

O Monumento Meio do Mundo, que separa o hemisfério Norte do Sul, em Quito (Equador)

Para aqueles que sofrem de jet lag, a famosa fadiga de viagem, não é preciso se preocupar. Quito fica a duas horas de distância do Brasil, considerando Brasília, no Distrito Federal, como ponto inicial da viagem.

Turistas podem sair do país às 16h e chegar à capital do Equador às 14h, uma vez que, segundo o fuso horário, o Brasil tem duas horas a mais que Quito.

O melhor período de voos para o destino fica para os meses de abril e junho, quando os valores de uma passagem ida e volta variam entre R$ 1.200 e R$ 1.450.

Créditos: marcelina1982/iStock

Vista da Praça de San Francisco, no Centro Histórico de Quito

A cidade equatoriana conta com outros benefícios como, por exemplo, a temperatura similar ao Brasil, na faixa dos 18°C e 20°C, e também o fato de não precisar de visto para visitar a capital, o que é um gasto a menos no bolso de um turista.

Além disso, uma vantagem para quem adora frutas e vegetais: assim como em solo brasileiro, esses alimentos estão disponíveis durante todo o ano, sendo possível consegui-los quando bater aquela vontade incontrolável.

Outro motivo que torna a cidade de Quito o lugar ideal para aqueles que desejam gastar pouco é a arquitetura. Prova disso é a nomeação, pela Unesco, como o Primeiro Patrimônio Cultural da Humanidade, em 1978.

O Centro Histórico de Quito, por exemplo, tem 3,2 km² de riqueza colonial, com 130 edificações monumentais e 5.000 imóveis que guardam inestimáveis obras. Um museu gratuito a céu aberto para quem desejar conhecer melhor o esplendor artístico quitenho.

Para aqueles que desejam explorar a gastronomia da capital da metade do mundo, o restaurante URKO é uma ótima dica para os visitantes.

Créditos: Divulgação

Fritada de Cochinillo, um dos pratos servidos no restaurante URKO

O chef Daniel Maldonado deixa de lado os métodos tradicionais e foca na criatividade para oferecer a cada dia pratos únicos aos clientes “inspirados nas lembranças, lugares e perfumes, mas, acima de tudo, na maravilhosa quantidade de produtos que a terra oferece”. O preço médio do restaurante vai de R$ 15 à R$ 93.

Com inúmeras atividades turísticas, a capital equatoriana atrai visitantes de diversas partes do mundo e se torna ideal para viagens com a família ou a dois. Há muitas opções de compras, parques e o melhor da vida noturna.

Créditos: Rudimencial/iStock

A La Ronda, rua que concentra lojas de artesanato, cafeterias boêmias e casas seculares

Entre os principais passeios, o popular teleférico, que atinge mais de 4.000 metros de altura e oferece uma vista privilegiada do destino. O passeio custa US$ 4,50 (R$ 15) para adultos, US$ 3 (R$ 9,50) para crianças e US$ 2,25 (R$ 7,10) para terceira idade. Já estrangeiros pagam US$ 7,50 (R$ 23,65).

Além disso, há também a rua La Ronda, remodelada no século 18 e no final dos anos 1900, com lojas de artesanato, cafeterias boêmias e casas seculares. Ou seja, um destino feito para todos os bolsos e gostos.