Destinos

Voos nacionais terão segurança mais rígida a partir de 2ª

A partir da próxima segunda-feira, dia 18, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) vai reforçar os procedimentos de inspeção nos aeroportos do país, como a verificação de bagagens e a revista de passageiros para acesso às áreas de embarque, pista e aeronaves.

Na prática, as regras de segurança nos voos domésticos passam a ser parecidas com as de um voo internacional.

Além da passagem setor de raio-X, os passageiros estarão sujeitos a passarem pelo scanner corporal ou pela revista física aleatória. Neste caso, o passageiro poderá ser revistado por um agente de proteção da aviação civil do mesmo sexo, independentemente do disparo do alarme do equipamento de raio-X.

Tânia Rêgo/ Agência Brasil

Bagagem de mo do passageiro poder ser revistada tambm em voos domsticosBagagem de mo do passageiro poder ser revistada tambm em voos domsticos

Bagagem de mão do passageiro poderá ser revistada também em voos domésticos

A revista poderá ocorrer em local público ou reservado, a critério do passageiro e dos agentes, e com presença de testemunha. Se o passageiro se recusar a ser submetido à revista física, poderá ser proibido de entrar na área de embarque.

A retirada de notebooks e de outros dispositivos eletrônicos do interior de malas e mochilas transportadas na bagagem de mão será obrigatória agora nos voos domésticos. Atualmente, a medida é adotada para voos internacionais.

De acordo com a Anac, a presença do notebook dificulta a visualização dos demais itens no interior da bagagem durante a inspeção pelo equipamento de raios-X.

A inspeção manual aleatória de pertences de mão no momento da passagem pelo equipamento de raios-X também poderá ser solicitada. Nesse caso, os passageiros deverão abrir a bagagens de mão para inspeção pelos agentes. Se o passageiro se recusar a abrir a bagagem de mão, poderá ser impedido de entrar na área de embarque.

Segundo a Anac, o reforço nos procedimentos de segurança não está ligado aos Jogos Olímpicos ou a qualquer outro fator externo. “As medidas estão sendo adotadas em função da atualização normativa sobre a segurança da aviação civil contra atos de interferência ilícita, necessária para a melhoria contínua da segurança do transporte aéreo a todos os passageiros”, explica a agência em nota.

Para a Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), esta mudança nos procedimentos de inspeção de passageiros e de suas bagagens deve causar filas mais longas nos primeiros dias após a implantação.

A recomendação das companhias aéreas é que os passageiros passem a se apresentar para o check-in com maior antecedência, pelo menos uma hora e meia antes do horário de saída do voo.

Nos voos internacionais, os procedimentos de segurança e inspeção de passageiros seguem inalterados.