Vinho e Viagem

Vineyard House, a porta aberta da Churchill’s no Douro

Entre o Pinhão e São João da Pesqueira, perto de Ervedosa do Douro, a Quinta da Gricha é o terroir dos vinhos do Porto e do Douro da Churchill’s. Devidamente encaixada nos socalcos onde os vinhedos se alinham, com o Douro a correr aos pés, está a nova Vineyard Residence que abre ainda mais as portas para o universo desta companhia que, apesar da juventude – foi fundada em 1981 –, já tem créditos firmados na produção de vinhos premium. Afinal, os seus proprietários não são novatos no negócio do vinho do Porto: Graham, o sobrenome dos irmãos John, William e Anthony, é sinónimo dele.

Os irmãos quiseram continuar a tradição familiar e, simultaneamente, criar um estilo muito próprio de vinho do Porto – daí surgiu a Churchill’s, sobrenome da mulher de John, Caroline. “Os meus Porto são feitos com a maior fermentação natural e com a menor fortificação com brandy possível”, lê-se no site, com créditos a John Graham. “Gosto de fazer vinhos da forma mais natural. Acima de tudo, procuro equilíbrio. Acredito que trouxe este equilíbrio aos Porto da Churchill’s. Há um consenso em relação às características que definem o estilo da nossa casa que são facilmente identificáveis”.

Já sabemos como são os vinhos, agora pode descobrir-se a sua origem. Esse é um dos objectivos da abertura da Quinta da Gricha ao público, ela que foi comprada em 1999 e estimulou a produção de vinho do Douro com assinatura Churchill’s. O enoturismo na Quinta da Gricha terá a vertente de alojamento e de visitas, sempre assente em experiências exclusivas e intrinsecamente locais.

A Vineyard Residence foi completamente restaurada, mantendo o carácter original em aliança ao conforto e modernidade. Todos os espaços guardam a história da casa original, combinando peças clássicas com outras contemporâneas para criar uma atmosfera discretamente sofisticada e acolhedora. Para dormir, há apenas quatro suítes, mas os hóspedes podem usufruir ainda das elegantes salas de jantar e de estar que se abrem para uma ampla varanda.

E se tiverem especial interesse culinário, podem ainda entrar na cozinha e participar na preparação das refeições com o chef (almoço e jantar estão disponíveis) ou então podem cozinhar as suas próprias refeições numa cozinha moderna para seu uso exclusivo. No exterior, além das vinhas que a rodeiam, a Quinta da Gricha possui ainda espaços verdes, piscina e o Pátio das Laranjeiras. Quem quiser aventurar-se para além da propriedade, a Quinta da Gricha sugere os três grandes museus do Vale do Douro (o Museu do Douro, o de Lamego e o do Côa – este juntamente com o Parque Arqueológico do Vale do Côa), passeios de barco, de moto quatro ou de bicicleta – e até um programa especial que combina um passeio de barco com piquenique a bordo.

Para visitantes, a quinta apresenta um programa que proporciona a imersão no seu universo vínico para descobrir o porquê de os seus vinhos serem tão singulares. A visita às vinhas e aos lagares – do século XVIII –, onde os vinhos do Porto continuam a ser produzidos pelo método tradicional, não podia faltar. Contudo, a experiência termina à mesa: o almoço, servido no Pátio das Laranjeiras ou na Cozinha dos Caseiros, dependendo das condições climatéricas, é constituído por pratos regionais preparados com produtos biológicos cultivados na quinta. E todos são harmonizados com vinhos do Porto e do Douro da Churchill’s, no que se pretende que seja uma verdadeira experiência sensorial.

  • 1
  • 2
  • Página seguinte »
  • Ver texto completo