Destinos, News, Principais, Viagem

Veneza anuncia reabertura de museus no ano de seu aniversário e revela seus encantos

Os Museus Cívicos de Veneza foram reabertos: desde o dia 26/04 o Palácio Ducal e o Museu Correr podem ser visitados todos os dias. Outras atrações serão reabertas em breve.

Com a passagem para a zona amarela da região do Veneto, esta manhã, segunda-feira, 26 de abril, os Museus Cívicos de Veneza reabriram as suas portas. O Palazzo Ducale e o Museu Correr estarão abertos todos os dias da semana, enquanto a partir de sexta-feira, 30 de abril, os demais museus da Fundação de Museus Cívicos também reabrirão de sexta a domingo. A reserva e a compra online são fortemente recomendadas no site www.visitmuve.it. Hoje, ao mesmo tempo, o Campanile di San Marco também foi aberto para visitas e nos próximos dias também outros museus de excelência, como a Gallerie dell’Accademia e o Museu Peggy Guggenheim, voltarão para mostrar seus tesouros. Outros eventos presenciais de peso já estão reservados: a Bienal de Arquitectura, agendada de 22 de maio a 27 de novembro, e o Boat Show, agendado no Arsenale de 29 de maio a 6 de junho. A retomada das atividades culturais são um presente para a cidade, que completou 1600 anos, e para o seus visitantes.

A seguir estão os horários e dias de funcionamento dos Museus Cívicos de Veneza:

Palazzo Ducale: todos os dias da semana, das 10h00 às 18h00

Museu Correr: todos os dias da semana, das 11h00 às 17h00

Museu Ca ‘Rezzonico: de sexta a domingo, das 11h00 às 17h00

Museu Ca ‘Pesaro: de sexta a domingo, das 11h00 às 17h00

Palazzo Mocenigo: de sexta a domingo, das 11h00 às 17h00

Museu de História Natural: de sexta a domingo, das 11h00 às 17h00

Museu do Vidro: de sexta a domingo, das 11h00 às 17h00

Museu da Renda: de sexta a domingo das 12h00 às 16h00

Casa di Carlo Goldoni: de sexta a domingo, das 12h00 às 16h00

Atualizações e mais informações sobre a visita estarão disponíveis no site da Fundação www.visitmuve.it .

Veneza

Veneza anuncia reabertura de museus no ano de seu aniversário e revela seus encantos

Elegante, preciosa, inimitável, divertida, romântica: isto é Veneza, joia da cena turística italiana, onde igrejas, palácios, pontes antigas, monumentos e praças revelam a vivacidade artística e cultural que marcou e ainda marca a história desta cidade.

O coração de Veneza é a maravilhosa Piazza San Marco, considerada a sala de estar  mais elegante da Europa, cercado por obras de valor inquestionável: o imponente Campanile e a Basílica com os seus cinco portais e decorações de mármore e mosaicos que antecipam o brilho e a riqueza de seu interior; o Palazzo Ducale, símbolo da idade de ouro da Sereníssima; a Torre dei Mori, mais conhecida como Torre dell’Orologio, pela obra de engenharia que durante séculos marcou a época de Veneza; a Ala Napoleônica, onde está localizado o Museu Correr.

Em frente à praça existem vários cafés históricos, como o maravilhoso Caffè Florian: inaugurado em 1720, é o café mais antigo da Itália. Os interiores são elegantes, destacam-se os de estuque (tipo de argamassa), pinturas, espelhos … Entre os ilustres convidados que já passaram por suas mesas, há Giacomo Casanova, Lord Byron, Foscolo, Gabriele d’Annunzio.

Não muito longe da Piazza San Marco é o Campo Santo Stefano, com a igreja homônima.

Os “campos” de Veneza são praças históricas, muitas vezes embelezadas no centro por valiosos monumentos e dominadas por edifícios religiosos imponentes e esplêndidos, de onde tiram seu nome. As ruas, em vez disso, são chamadas de calli (o singular é “calle”) que serpenteiam através de duas fileiras contínuas de edifícios. Os venezianos dizem que a melhor maneira de aprender sobre a sua cidade maravilhosa é tomar uma rua e caminhar sem orientação, sem um mapa e sem medo de se perder, porque, como por magia, você sempre chegará … na Piazza San Marco.

Da Piazza San Marco, atravessando a famosa Ponte dos Suspiros, que oferece uma vista maravilhosa sobre os canais, você vai chegar no distrito Castello, rica em obras arquitetônicas e artísticas, onde se encontra a igreja de Santa Maria dos Milagres, considerada por muitos como uma das mais belas da cidade. Continuando o passeio pelas ruas, chega-se ao “Arsenale”, durante séculos, o maior do mundo, construído no século XII, e depois expandido graças ao grande desenvolvimento político e comercial de Veneza, agora sede da Bienal de arte e arquitetura.

O Festival Internacional de Cinema é realizado, no entanto, no histórico Palazzo del Cinema, no Lido.

Da praça San Marco, você pode ver a ilha de San Giorgio Maggiore e a alta torre sineira que se ergue do complexo monumental, uma obra-prima de grandes arquitetos, incluindo o famoso Andrea Palladio. Um verdadeiro museu ao ar livre que pode ser visto passando pelas águas do Grande Canal, a principal “rua” da cidade, que começa em Punta della Dogana, o antigo porto da Sereníssima, com sua característica forma triangular. Existem quatro pontes que atravessam o canal: a ponte Accademia, a ponte Rialto (a mais antiga e mais famosa), a ponte Scalzi e a ponte da Constituição.

Punta della Dogana, área do Grande Canal, abriga alguns edifícios, incluindo o complexo aduaneiro que, juntamente com Palazzo Grassi, ambos localizados no Pinault Foundation François, são centros de excelência para a arte contemporânea na Itália e no mundo.

Para não perder – a Coleção Peggy Guggenheim, em exibição no Palazzo Venier dei Leoni, uma prestigiosa coleção de obras de arte do século XX. Mais adiante, outros museus importantes: a Galeria Accademia, organizado pelo complexo majestoso da Grande Escola de Caridade, que também inclui a igreja homônima e o mosteiro, e Ca ‘Rezzonico, um dos mais belos palácios renascentistas, museu do século XVIII em Veneza.

Também na parte ocidental da cidade, existem os distritos (seis zonas que dividem Veneza) Cannaregio, Castello, Dorsoduro, San Marco, San Polo, Santa Croce, com alguns dos “campos” mais famosos de Veneza, emoldurados de imponentes edifícios religiosos.

Ilhas

Em torno de Veneza, destaque para quatro ilhas: Burano, famosa pela produção de rendas; Murano, para processamento de vidro; Pellestrina, caracterizada por dunas arenosas e juncos elevados; Torcello, um dos mais antigos assentamentos humanos da região.

Acompanhe o MídiaTuris nas Redes Sociais:

Instagram: @midia.turis

TikTok / Twitter / Facebook: @midiaturis

Sobre o autor

Jornalista apaixonada por viagens, histórias e culturas a fim de desvendar os mistérios dos mais diversos mundos.