Tudo o que você precisa saber para conhecer o Irã

 

Já estou a mil nos preparativos para a próxima viagem que será o magnífico Irã. Sonho antigo em conhecer a Pérsia e mal posso esperar pra chegar este dia. Recebi estas dicas preciosas da Latitudes Viagens de Conhecimento sobre dúvidas a respeito de vários temas no país. Achei bem interessante, extremamente útil para quem for visitar o país e estou compartilhando com vcs!

Gosto muito de estudar antes de conhecer um novo país e toda sua história. Esta viagem será muito especial, pois teremos a companhia dos historiadores Plínio Gomes e Emílio Moufarige, dois experts na região. Veja aqui as sugestões de livros e filmes recomendados por eles para enriquecer ainda mais a nossa viagem:

Entre os livros, o primeiro destaque vai para um ágil retrato do Iran atual. O jornalista brasileiro Samy Adghirni foi correspondente durante quatro anos no país, experiência que resultou em Os iranianos (editora Contexto, 2014). Sobre a revolução islâmica de 1979, aconselho o relato vibrante do polonês Ryszard Kapuscinski, O xá dos xás (Cia. das Letras, 2012); e também as lembranças juvenis sobre o mesmo período da iraniana Marjane Satrapi, em Persépolis (Cia. das Letras, 2007).

Vários documentários interessantes estão disponíveis na internet. Mas um deles é particularmente significativo para o programa da nossa viagem, porque se passa nas ruínas de Persépolis. Refiro-me a: “Decadence and Downfall: the Shah of Iran’s ultimate party”, da BBC. Imperdível!

Algumas obras-primas da cinematografia iraniana:

Abbas Kiarostami. O sabor da cereja (1997). Samira Makhmalbaf. A maçã (1998).
Jafar Panahi. Offside (2006); Taxi Teheran (2015). Asghar Farhadi. A separação (2011).

MULHERES TURISTAS

COMO AS MULHERES SÃO TRATADAS EM HOTÉIS, RESTAURANTES, ETC?

Em geral, com total respeito e cortesia, com sorrisos e curiosidade, além de convites para fotos.

É POSSÍVEL CONVERSAR COM MULHERES IRANIANAS? Sim e certamente isso vai acontecer. As mulheres iranianas são curiosas e sempre estão preocupadas em saber se tudo está bem com você no país.

EXISTE ALGUMA REGRA NA HORA DE SE DIRIGIR A UM ATENDENTE, GARÇOM OU BALCONISTA PARA PEDIR ALGO? ISSO PODE SER FEITO PELA MULHER? Sim, pode ser feito. Todos atendem normalmente, seja um atendente homem ou mulher.

COMO A MULHER É TRATADA AO NEGOCIAR NOS MERCADOS? É possível negociar com homens, sem nenhum problema e sem regalia por ser mulher.

QUAIS AS RECOMENDAÇÕES PARA MULHERES ENTRAREM EM MESQUITAS? Se não houver sinalização exigindo algo especial ou proibindo o acesso a mulheres (o que acontece em determinadas áreas durante os cultos, por exemplo), a mulher só precisa do bom senso natural quando entrar em locais religiosos. É como entrar em uma igreja católica, mas com os cabelos cobertos por um véu.

COMO É DENTRO DOS AVIÕES? HÁ SEPARAÇÃO? 
Não. Dentro dos aviões é igual ao mundo inteiro, todos sentam sem separação alguma.

NOS AEROPORTOS, ACONTECE ALGUMA SEPARAÇÃO?
Sim. Na hora de passar pela revista de segurança, mulheres e homens são separados. Mas é por poucos minutos. Após a revista, todos se reencontram na sala de embarque.

CASAIS PODEM ANDAR DE MÃOS DADAS? 
Sim. Casais andam de mãos e braços dados. Mas beijos e abraços em público são proibidos.

QUAIS SÃO AS REGRAS GERAIS PARA SE VESTIR NO IRÃ?
1) cobrir cabelos e pescoço com um lenço (pode ser qualquer um, desde que cubra estas partes). São adotados no Irã: o Hidjab (o mais comum) e o Xador (usado pelas praticantes)
2) cobrir o corpo, o que significa não usar camisas de mangas curtas, blusas decotadas, regatas, bermudas nem saias que mostrem as pernas;
3) disfarçar as curvas do corpo, o que significa cobrir as nádegas e não marcar a cintura.

É REALMENTE NECESSÁRIO QUE UMA TURISTA CUBRA A CABEÇA COM UM LENÇO? Sim. Não existe exceção. Toda mulher em território iraniano é obrigada a seguir essas regras. Não importa se ela é turista, se é estrangeira, rica, pobre, diplomata, solteira, casada, acompanhada, sozinha, esteja no país apenas por pouco tempo ou simplesmente fazendo uma conexão no aeroporto de Tehran. Pisou em território iraniano, é obrigada a seguir as regras acima. É lei.

O QUE ACONTECE SE O VÉU ESCORREGAR DA CABEÇA NO MEIO DA RUA?
Provavelmente alguém vai gentilmente avisar de que o véu escorregou.

O QUE ACONTECE SE O VÉU FOR COLOCADO DE FORMA ERRADA?
Não existe forma errada, se os cabelos e o pescoço estiverem cobertos. Pode não ser a forma mais bonita e elegante, mas não será errada.

O QUE ACONTECE SE A MULHER DEIXAR UM POUCO DE CABELO PRA FORA?
Muitas iranianas não cobrem tudo, deixando bastante cabelo à mostra. Não é o correto pela lei, mas elas fazem. E, para uma turista estrangeira, sempre vai haver um pouco mais de tolerância. – Onde o uso do véu não é necessário? 
Apenas em lugares privados ou em locais onde haja apenas mulheres ou pessoas conhecidas. Exemplos: dentro do quarto do hotel, em banheiros femininos ou na casa de amigos.

É PRECISO USAR O VÉU MESMO DENTRO DOS HOTÉIS?
Sim. O véu deve ser colocado sempre que a mulher sair do quarto. Mas provavelmente não haverá problema se ele for esquecido uma ou outra vez, dentro das dependências do hotel. Os funcionários estão acostumados com estrangeiros e sabem que isso pode acontecer. Certamente alguém vai simplesmente avisar que a mulher esqueceu o seu véu.

POSSO TIRAR O VÉU DENTRO DO CARRO, NUMA VAN DE EXCURSÃO, NUM ÔNIBUS OU AVIÃO?
Em carro, van e ônibus: não. Se houver pessoas desconhecidas ao redor, a mulher precisa usar o véu. Como estes veículos têm vidros transparentes que permitem que as pessoas dentro deles sejam vistas, o véu continua obrigatório.
Avião: em voos internos é preciso usar véu. Em voos internacionais de companhias estrangeiras, o véu pode ser retirado dentro da aeronave. (Em voos para o Irã o piloto informará aos passageiros quando será necessário utilizar o véu.)

É PRECISO USAR BURCA? Não, de maneira alguma. Ao contrário da ideia geral, é extremamente raro encontrar mulheres de burca no Irã. Elas praticamente só são vistas nas regiões litorâneas do Golfo Pérsico, onde estão as populações de origem árabe.

– É PRECISO USAR O CHADOR (O MANTO PRETO QUE COBRE O CORPO INTEIRO)? 
Não. As mulheres só precisam cobrir os cabelos, o corpo e disfarçar seus contornos. Nada além disso.

PARA ENTRAR NOS LUGARES QUE EXIGEM CHADOR, ELE É EMPRESTADO OU PODEM SER ALUGADOS? Chadores são exigidos apenas em espaços muito sagrados e em prédios governamentais (como um ministério, uma assembleia legislativa e similares). É possível pegar um emprestado, nestes lugares.

É PRECISO COBRIR O QUADRIL? 
Sim, sempre. A roupa deve ir até abaixo das nádegas.

É POSSÍVEL USAR BLUSAS DE MANGAS CURTAS?
Não. Somente mangas longas.

É POSSÍVEL USAR BERMUDAS OU QUALQUER PEÇA CURTA ? É possível usar bermudas ou qualquer peça curta nas pernas? Não. Pernas precisam ser cobertas de cima a baixo.

É POSSÍVEL USAR SANDÁLIAS OU SAPATILHAS? Sim.

ALGUMA COR DE ROUPA OU ESTAMPAS DEVEM SER EVITADAS?
Não existem restrições a cores das roupas. O preto dos chadores é dominante, principalmente nas cidades do interior, mas muitas mulheres usam roupas muito coloridas. Em relação a estampas é o mesmo. Mas quem não quiser ser notada deve evitar roupas chamativas.

ALGUMA COR DE ROUPA OU ESTAMPA DEVE SER EVITADA POR MULHERES SOZINHAS? 
Nada específico. Vale seguir a regra: quem não quer ser notada deve se vestir de forma discreta.

PODE USAR CALÇAS TIPO LEGGING OU SKINNY? Sim. Mas atenção: se a calça for muito justa é melhor cobrir muito bem as nádegas com um mantô, uma camisa longa ou um casaco. É recomendado evitar que os contornos das pernas apareçam demais.

AS IRANIANAS USAM MAQUIAGEM? Sim, e muito. A obrigação de cobrir o corpo é claramente compensada com a maquiagem no rosto. Nos banheiros femininos, as mulheres abrem nécessaires enormes, cheias de maquiagem. As iranianas são muito vaidosas.

EXISTE DIFERENÇA ENTRE O QUE AS MULHERES USAM EM TEHRAN E NO INTERIOR? 
Sim. Como qualquer capital do mundo, Tehran é muito mais cosmopolita do que as cidades do interior, então suas mulheres usam roupas mais modernas, mostrando mais o cabelo e ousando muito mais do que nas outras cidades.

DICAS GERAIS SOBRE ROUPAS E VÉUS 
Para segurar véus que vivem escorregando pelos cabelos, as iranianas usam um prendedor de cabelo com um aplique de flor, feito de um tecido sintético. Ele faz com que o véu pareça estar sobre um coque e, por ser sintético, “agarra” o tecido e não o deixa escorregar. Esse aplique de flor pode ser encontrado em várias lojas, em qualquer cidade, porque praticamente todas as mulheres que usam véu se aproveitam desta técnica. Véus de algodão ou com alguma textura são os melhores para se evitar que escorreguem pelos cabelos. Véus de seda podem ser bonitos, mas pouquíssimo práticos.
Mulheres podem levar alguns prendedores de cabelo para segurar seus véus, mas não é necessário. É fundamental lembrar que uma mulher não vai ser agredida se o véu escorregar por descuido.
Em aeroportos, é recomendado usar roupas discretas e ajeitar bem o véu. Como em qualquer aeroporto do mundo, eles são naturalmente mais vigiados, o que significa que pode haver oficiais da polícia de costumes por eles.

MALAS SÃO REVISTADAS À ENTRADA DO PAÍS? MEDICAMENTOS E PRODUTOS ÍNTIMOS FEMININOS PODEM SER CONFISCADOS? Assim como qualquer polícia de aeroporto do mundo, a polícia iraniana pode revistar malas, é claro. Mas isso não significa que ela vá fazer alguma revista. Se fizer, não é preciso ter medo de nada, caso não esteja carregando drogas, álcool ou carne suína (proibida pelo islamismo). Produtos de uso íntimo feminino são totalmente liberados. Sobre medicamentos, vale a mesma regra do mundo inteiro: é melhor ter um atestado médico para remédios de uso controlado e manter os mais leves em suas embalagens originais.

COMO SÃO FEITAS AS REVISTAS PESSOAIS NOS AEROPORTOS?
Na entrada da sala de embarque, onde costumam ficar os aparelhos de inspeção, homens e mulheres são separados e enviados para duas salas diferentes. Dentro delas, o procedimento é igual ao do Brasil: detector de metais para as pessoas, raio-x para a bagagem, o passageiro recolhe
suas coisas segue adiante. Todos se encontram novamente depois da porta. A separação é feita apenas para que as mulheres possam retirar seus véus na revista, sem homens olhando. Nos banheiros (válidos para mulheres e homens)
Nos hotéis, as privadas sempre tem papel higiênico porém, recomenda-se levar na bolsa/mochila, papel higiênico (ou se preferirem, lenços umectantes) porque é raro encontrá-los em WCs fora de hotéis.

Fonte: Márcia Steyer, designer brasileira que passou 30 dias no Irã.

REGRAS DE VESTIMENTAS PARA OS HOMENS
A vida é mais fácil para os homens no Irã, mas existem pelo menos duas regras:
 Bermudas são proibidas nas ruas;
 Não se deve apertar a mão de uma mulher desconhecida (a não ser que ela inicie o gesto).

DICAS PRÁTICAS:

DINHEIRO IRANIANO É O RIAL (IRR) 
Cotação: 1US = 32.937,14 IRR (15/08/2017) Cotação: 1Euro = 38.618.92 IRR (15/08/2017)

O rial (ری ال) é a moeda oficial do Irã; às vezes os preços são expressos em tomãs (ت ومان). Um tomã equivale a dez riais. De um modo geral, preços escritos são em rial; na conversação, emprega-se o tomã. Para aumentar a confusão, muitas vezes os lojistas falam 2 tomãs querendo dizer 2.000 tomãs ou 20.000 IRR. Na conversão, um
chomejni equivale a 10.000 IR ou 1.000 tomãs. Como regra geral, sempre pergunte se o preço está em riais ou tomãs.

CÂMBIO 
Euros e dólares podem ser levados e trocados, sem problema algum. Mas é necessário levar notas em muito bom estado. As notas iranianas (Rial – IRR) são péssimas, mas eles não aceitam dólares antigos ou em mau estado.
O Irã ainda é uma economia baseada em papel-moeda; então carregue espécies suficientes para sua estadia. Notas de 100 dólares ou 100 euros, quando novas, atingem melhor cotação. Os embargos comerciais contra o país tornam as retiradas em cash com cartões impossíveis, exceto para compra de tapetes. Cheques de viagem são impraticáveis.
Trocar dinheiro em bancos pode ser demorado, e no mercado negro arriscado. Consulte sempre seu guia local. Uma boa opção também são casas de câmbio (sarā fi), presentes em toda grande cidade e centros turísticos.

BARGANHA GORJETAS
Em negociações de preços, é importante lembrar que persas não são árabes e, portanto, não costumam ir muito longe na redução de valores. Eles podem fazer um desconto leve, mas é só isso. Insistir é considerado rude.
Dar gorjetas não é sempre esperado, mas os locais, em geral, arredondam as contas nos táxis e dão 10% nos restaurantes. Porteiros e carregadores esperam 2 ou 3 mil tomãs (20.000 – 30.000 Riais) por mala.

 

NÃO EXISTE CARTÃO DE CRÉDITO INTERNACIONAL NO IRÃ 
O Irã é um país totalmente desligado do sistema bancário mundial. Turistas têm que levar todo o seu dinheiro em cash. O recomendado é sempre levar dinheiro a mais, para o caso de querer comprar algo especial. Receber dinheiro internacional no Irã (caso falte) é uma complicação enorme. Algumas lojas de tapetes aceitam cartões (via contas nos Emirados Árabes), mas são raras e cobram uma taxa alta em cima do valor final. O melhor é não contar com isso.

COMPRAS
O Irã é famoso por seus tapetes (tapetes persas), que podem ser encontrados em todas as cidades mais turísticas. Tecer tapetes é uma tradição milenar no país e cada região tem o seu estilo. Ao mesmo tempo, cada tapete é uma obra única, que conta uma história sobre um momento da vida de quem o teceu. Ouvir as explicações sobre cada detalhe é uma experiência enriquecedora que muitas lojas de tapetes oferecem aos seus clientes. Os preços variam desde 100 euros até o infinito (para tapetes antigos, grandes e muito trabalhados). Importante lembrar: não existe cartão de crédito internacional no Irã. Leia o tópico acima (“Dinheiro”).
Porém, os tapetes não são a única arte típica do Irã. As pinturas em miniaturas, normalmente feitas em pequenas caixas feitas de osso de camelo, são algo extremamente persa e extremamente lindas. As pinturas normalmente representam jogos de pólo (esporte inventado no Irã), tetos de mesquitas, desenhos abstratos e de motivos religiosos, mas também podem representar muito mais. Isfahan é um dos melhores lugares para se encontrar estas pequenas obras, que custam muito menos que um tapete (com preços a partir de 50 euros).

Exemplificando (valores referenciais apenas):
  1 Simcard (para celular) – 500.000 IRR / 50.000 Tomãs (15US)
  3 ímãs de geladeira 270.000 IRR / 27.000 tomãs (8,70 US)
  Dvd 90.000 IRR / 9.000 tomãs (2,90 US)
  Caminhos de mesa/almofadas 160 US (4.960.000 IRR / 496.000 tomãs)
  Bolsa 40 US – no mercado em Isfahan
  Colcha 1.700.000 IRR / 170.000 toma 53 US)

LIMITE DE COMPRAS – ITENS ESPECIAIS NO IRÃ
  Antiguidades: com mais de 50 anos não saem do país
  Até 3,5kg de prata (+ imposto)
  Até 200g de ouro (+ imposto)
  Tapetes até 12m2 por pessoa (+ imposto)
  Caviar iraniano, até 200g por pessoa

INTERNET e TELEFONIA CELULAR (SINCARD) 
As informações nem sempre são precisas nesta área. Segundo o Facebook não há bloqueio no Irã, porém outros dizem que o 
É possível adquirir um sincard para uso no seu celular. Neste caso próprio o guia local poderá auxiliá-lo a comprar.

Oficialmente não há Facebook. Sites como Facebook, Twiter, blogs são
censurados. No entanto, com as tecnologias de VPN e anti-filtros, todos têm acesso e perfis nestes sites. Muitos estabelecimentos comerciais (lojas e restaurantes), ao invés de terem um endereço web, na internet, preferem ter um perfil no Facebook (grátis e fácil de usar).

ETIQUETA

– Os iranianos têm uma tradição chamada de taarof. De forma simplificada, é um jogo de aparências que manda que duas pessoas sempre se rebaixem uma em relação a outra. Por causa do taarof, donos de restaurantes, lojistas e taxistas (por exemplo) quase sempre dirão que o cliente não precisa pagar por um serviço ou compra. Mas, na verdade, isso é apenas uma encenação. O correto é que o comprador/cliente insista em pagar até que a outra pessoa aceite.
Um elogio a um relógio, por exemplo, vai fazer com que o dono dele o ofereça a quem elogiou, mas é apenas taarof. A pessoa que elogiou deve negar a oferta.

– Mulheres não devem estender a mão para cumprimentar homens desconhecidos.

– No Irã, nosso sinal de “legal” (com o dedão levantado) é o equivalente ao xingamento com o dedo do meio.

– É muito comum em restaurantes que além de mesas encontre também as tradicionais bancadas altas com tapetes, onde os clientes se sentam como se comessem no chão. É preciso retirar os calçados.

VISTO

Emitido pelo consulado no Brasil e eu fiz tudo através de despachantes.

VACINA CONTRA A FEBRE AMARELA

Obrigatória para quem visita o país.

CULINÁRIA

A culinária iraniana, com 5000 anos de idade, recebeu influências de várias culturas e influenciou muitas outras. É difícil defini-la tanto por seu longo tempo de evolução, como pelas influências recebidas e a variedade de regiões que formam o país.
No Irã come-se peixe, frango, cordeiro, gado, tâmaras, nozes, pistache, iogurte, açafrão, romã, alguns tipos de pães, arroz, uma frutinha selvagem chamada zereshk, berinjela, beterraba, limão persa, lima-da-pérsia, espinafre, pétalas de rosas, cardamomo e muitos outros ingredientes.

As combinações são feitas seguindo uma filosofia que busca balancear os pratos para que sejam sempre saudáveis. Assim, os alimentos mais pesados são servidos em menor quantidade e sempre acompanhados de alimentos mais leves e saudáveis.
Nos restaurantes mais comuns, o cardápio varia basicamente entre saladas, sopas, iogurte, guisados e kebabs: de carneiro, de frango, de vaca, com ou sem arroz, além de peixes grelhados.

O kebab, em sua versão mais popular, é um espeto de carne vermelha muito bem temperada, acompanhado de muito arroz com um pouco de açafrão, especiarias, um tomate assado e uma cebola branca crua. Ao lado destes ingredientes meio limão (para espremer em cima da carne), fatias de pão iraniano e um pequeno tablete de manteiga, que deve ser derretido no meio do arroz quente.
Nos cafés da manhã, com pouquíssimas variações, o menu é composto por muito pão, manteiga, geleias de cereja e de cenoura, pasta de amendoim, queijo de cabra, chá preto e tâmaras à vontade, além de tomates, pepinos, iogurte e ovos. Vale lembrar que a culinária iraniana é bem diferente da árabe.

PROIBIÇÕES: BEBIDAS ALCOÓLICAS – CARNE DE PORCO – PORNOGRAFIA
O Irã é um país muçulmano, então álcool, carne de porco e pornografia são terminantemente proibidos no país. Entrar com qualquer um deles no Irã é ilegal e pode gerar problemas. Não há exceção para turistas e nem para hotéis.

CURIOSIDADES

  Comer ao estilo persa – Comer sentado no chão, sobre tapetes persas (é claro!), é um hábito cotidiano cultivado ainda hoje em pequenas cidades iranianas.

  Dias da semana e horário comercial – No Irã a semana começa no sábado! Quintas e Sextas feiras são os dias de descanso. Por causa do calor o comércio fecha das 12h00 às 16h00.

  Calendário – No Irã eles estão no ano de 1394. Os anos são contados a partir do início da Primavera do ano quando o profeta Mohamad foi de Meca para Medina (606) ou seja, o Ano Novo (Noruz) deles é no dia 21 de março.

  Bazares – Os bazares iranianos são enormes. Apesar de serem divididos por setor, é um 
tanto difícil entender sua lógica, então deixe-se levar e caminhe sem rumo para vivenciar um pouco do costume local. Eles oferecem de tudo: roupas, comida, tecidos, brinquedos, utensílios domésticos, artesanato etc.

  Parques e pic-nics– Os famosos pic-nics nos parques fazem parte da cultura e rotina iraniana É muito comum ver parques e praças cheios de iranianos comendo e conversando.

A hospitalidade é um orgulho iraniano e o povo faz questão de preservá-la. Cheios de ufanismo, se consideram o povo mais hospitaleiro do mundo, algo que quase todos os turistas concordam.

Nas conversas, uma das principais perguntas é “Você está gostando do Irã?” e a preocupação com o bem-estar do visitante é enorme. Também é comum haver pedidos de trocas de telefones, cartões de visitas e até contatos no Facebook.

Fuso horário: O Irã está a 7h30 a mais que o horário de Brasília.

Moeda: A moeda oficial no Rial (IRR).

Energia elétrica: A voltagem é 220/240 Volts. Com 2 plugs redondos.

Código do país: +98

Embaixada do Brasil em Tehran
Brazilian Embassy in Tehran, Iran Vali-Asr Avenue, Fallahi Avenue (Zafaranieh) 26, Yekta Street
(Corner of Bahar) Tehran Iran
Tel. (+98) (21) 2275 3108 to 10 (+98) (21) 2275 3010 Fax. (+98) (21) 2274 4009
E-mail: [email protected]
Website: teera.itamaraty.gov.br

Embaixador: Mr Antonio Luis Espinola Salgado

 

Article source: http://www.flaviapiresexplora.com.br/destinos/tudo-o-que-voce-precisa-saber-para-conhecer-o-ira/

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *