Sri Lanka, o antigo Ceilão

 

 

Tradição milenar e selos de Patrimônio da Humanidade, o Sri Lanka impressiona seus visitantes pelas belezas naturais, esbanja história, espiritualidade a flor da pele e seu povo adorável. País pouco explorado pelos brasileiros, o Sri Lanka estava há tempos na minha lista interminável de países que eu queria conhecer na Ásia.

Sua geografia lembra uma gota caindo da península indiana,a apenas 29 km da costa indiana, a uma hora de barco. A ilha é banhada pelo Oceano Índico e possui uma costa de 1.340 km. A capital hoje é Kotte e a cidade principal é Colombo, que possui cerca de 2 milhões de habitantes e está localizada no sudoeste da ilha. O clima é muito favorável, girando em média temperaturas que variam entre 26 e 28 graus o ano todo. Janeiro é o mês mais frio e maio o mais quente. Ao contrário da índia, as chuvas ocorrem nos meses de outubro e novembro. O nível de chuva é influenciado pelos ventos oriundos do Oceano Índico e da Baía de Bengala.

Sua população é de 22 milhões de habitantes, 74% da população são cingaleses. Os tomeis são o segundo maior grupo, os muçulmanos representam 7% da população e cristãos com 1%.

 

O cingalês é o idioma oficial do país e o budismo representa 70% da população da ilha, sendo que a maioria segue o budismo Theravada. Os rituais, literatura e folclore cingaleses estão baseados na singularidade do budismo no Sri Lanka e na relação entre  a cultura, política e religião.

Sua história foi marcada por domínio português, holandês e britânico. Cada um com suas caracter;esticas que marcara,m a história do país. Uma Guerra Civil que durou 26 anos, de 1983 a 2009, levaram a 70.000 mortos e foi de grande efeito na economia, no meio ambiente e na economia do país. Após esses tempos difíceis, o Sri Lanka vem entrando em um processo de desenvolvimento em todo o país, especialmente nas áreas mais afetada do país pelos conflitos ainda tão recentes.

Sem dúvida, um país que eu adorei conhecer e que agora vou contar um pouco mais sobre o nosso roteiro, que foi cuidadosamente preparado pela Latitudes Viagens de Conhecimento, agência que organiza todas a minhas viagens para a Ásia.

ROTEIRO DETALHADO:

DIA 1 DUBAI- COLOMBO-NEGOMBO Voo Dubai a Colombo ( Gosto de ir para a Ásia sempre via Emirados). Traslado para Negombo que fica a uma meia hora do aeroporto de Colombo. Negombo foi escolhida para a primeira noite no país. Com uma boa variedade de restaurantes, cafés e ainda uma praia que lembra muito as nossas da Bahia, Negombo foi perfeita para se refazer do jet lag e seguir viagem pelo interior do país. O hotel escolhido foi o Jetwing Beach em frente a praia.

 

 

DIA 2 NEGOMBO-SIGIRIYA Aproveitamos um pouquinho da praia em Negombo pela manhã. Águas quentes e um visual muito parecido com a nossa Bahia.

 

 

Seguimos viagem de carro, cerca de 5 horas até Sygiriya, pequena cidade do distrito de Anuradhapura que por sua localização central, foi escolhida para ficarmos hospedados pelos próximos 3 dias, enquanto visitaremos as cidades próximas. Ficamos hospedados no bacanérrimo Wild Grass Nature Resort, um hotel encravado em uma floresta, com bangalôs enormes, super confortáveis e uma comida deliciosa! Uma ressalva importante: é um hotel para quem gosta de natureza, pois os bangalôs são bem afastados um dos outros, os chuveiros são a céu aberto e tem muitos animais no entorno, como macacos, morcegos e animais rasteiros. Eu adorei a experiência, mas sei que não é todo mundo que curte essa imersão na natureza e vida selvagem!

 

 

DIA 3 SIGIRYA-ANURADHAPURA-SIGIRIYA Duas horas de carro nos levaram à cidade sagrada de Anuradhapura, fundada por um ministro chamado Anuradha, uma antiga cidade do século X e antiga capital do reino Cingalês, sendo a moradia real de mais de 100 reis do Sri Lanka. Depois de longos anos de batalhas foi abandonada em 1073, mas hoje abriga o símbolo religioso e cultural mais importante do país.

Na chegada, visitamos  a Bodhi Tree, considerada uma descendente direta da árvore junto à qual Buda se iluminou na Índia. Com mais de 200 anos de vida, está entre as árvores mais antigas do mundo.

 

 

Visitamos também Ruwanwelisaya, a estuda mais original da cidade, restaurada e pintada de branco.

 

 

Na sequência, visitamos ainda Lovamahapaya, também chamado de Braden Palace, um monastério que já abrigou milhares de monges e foi construído pelo pelo rei Dutugemunu.

 

DIA 4 SIGIRIYA Outra antiga capital do Sri lanka, Sigiriya é onde fica a fantástica e famosa fortaleza de Lion Rock, construída pelo rei Kashyapa no século V sobre uma rocha de granito a uma altura de 370 metros. Recomendo tênis e roupas bem leves, chapéu, protetor e água. O calor é intenso, sol muito forte e são muitos degraus, cerca de 1200, bem íngreme em alguns momentos, mas a vista é de enlouquecer!!!!! Fiquei um bom tempo pensando em como subiam com comida e todos os suprimentos nesta montanha tão alta?

 

 

Recomendo também aproveitar e subir a Pidurangala Rock que fica bem próxima, com uma vista tão linda quanto! Esse percurso tem mais pedras e é mais perigoso, requer um pouco mais de habilidade para subir. No caminho, nos deparamos com uma escultura do Buda reclinado de uma beleza ímpar.  Mas a vista igualmente linda, surpreende pela beleza e vale todo o esforço.

 

 

DIA 5 SIGIRIYA-POLONNARUWA-MINNERIYA-SIGIRIYA Viajamos de carro por cerca de uma hora e meia em direção ao complexo Polonnaruwa, onde visitamos Gal Vihara, uma das estátuas mais perfeitas de Buda esculpida em uma única pedra. Uma das representações mais lindas que eu já vi. O semblante é de uma serenidade única.

 

 

O lugar é muito bonito e requer tempo para caminhar entre as ruínas, ainda bem preservadas.

Depois seguimos até Pararam Samudraya, o mais antigo reservatório de água construído no Sri lanka pelo rei Parakramabahu, com uma área de 2.500 hectares e capacidade de 134 milhões de metros cúbicos de água destinada a agricultura local.

 

 

Na parte da tarde fizemos um safári no Minnerita National Park, onde é possível ver manadas de elefantes e outras espécies da fauna local. Mas para falar a verdade, não sei se não tivemos muita sorte, mas vimos poucos elefantes e quase nenhum outro animal relevante. Fazia muito calor, os jipes são abertos e o lugar não é nada demais. Achei que este passeio não valeu à pena, algumas amigas que estavam comigo, gostaram.

 

 

O Sri Lanka tem uma população de cerca de 6.000 elefantes, sendo 500 deles domesticados e o restante vivendo livremente pela ilha. Há berçários e orfanatos de elefantes pela ilha, mas pela minha experiência e andanças pela Ásia, não confio que não sofram maus tratos nestes lugares para turistas. Viraram lugares lotados de turistas e cheguei a ver perto de um orfanato, elefantes acorrentados. Não compactuo com esta ideia e não suporto ver animais maltratados.

Não é difícil cruzar com eles pelo caminho por toda  ilha. Eles estão por toda parte, atravessam estradas e são muito respeitados por aqui. Essa era uma fêmea aparentemente bem novinha, passeando na beira de uma estrada bem movimentada.

 

 

DIA 6 SIGIRIYA-DAMBULLA-MATALE-KANDY Foram 5 horas de carro até Kandy. No caminho visitamos o Templo Dourado de Dambulla, o maior e mais bem preservado complexo de templos em caverna no Sri Lanka. Estava muito ansiosa por este momento, pois há anos eu via fotos daqui, cartão postal do país e queria muito conhecer. Realmente fiquei muito impressionada com o que vi. De uma beleza única! Há mais de 80 cavernas documentadas na região, onde podemos observar diversas pinturas e estátuas relacionadas a Buda e sua vida. Apenas quatro estão abertas à visitação. Dá para passar horas observando cada detalhe. Impressionante como estão bem restaurados!

 

 

Kandy,  ao longo dos anos, foi alvo de ataques de três forças européias: Portugal, Holanda e Inglaterra, mas devido a sua situação geológica com rios, montanhas e selva, sempre resistiu às invasões. Conhecida como a capital das montanhas, está a 115 km de Colombo e se destaca por sua beleza e por ser o coração do budismo no país. No mês de julho, Kandy fica lotada de peregrinos durante o festival que ali se celebra. Elefantes enfeitados, dançarinos, acrobatas e muitas luzes.

O final da tarde em Kandy foi abençoado pela visita ao Dalada Maligawa (Templo do Dente de Buda), principal centro religioso e sagrado dos budistas por abrigar a relíquia do dente de Buda. A cerimônia é linda no fim do dia e merece ser vivenciada com calma. Este dia especialmente estava muito cheio, pois era lua cheia. O horário ideal para visitar o local é às 18:30, pois neste horário é feita uma cerimônia bem bonita, onde todos os monges abrem a portinha onde está a estuda em ouro que abriga a relíquia.

 

 

Peregrinos do mundo todo vem conhecer o santuário. A energia é muito boa aqui, de uma paz e serenidade indescritíveis.

 

 

Dentro do templo:

 

 

O hotel em que ficamos hospedados foi o Cinnamon Citadel Kandy, bem localizado.

 

 

DIA 7 KANDY Hoje tivemos um dia livre para descansar e passear pelo centrinho de Kandy. O Sri Lanka ainda tem pouco apelo turístico, poucas lojas e comércio ainda inexplorado. Não vá esperando compras, porque realmente não há nada bacana para comprar.

 

 

DIA 8 KANDY-DICKOYA Pela manhã visitamos o Royal Botanical Gardens, construído em 1374 pelos reis de ampola e Kandy como um jardim de contemplação. Destaque para o Highland Spicy Garden, um jardim de especiarias e ervas usadas na medicina Ayurveda, onde tivemos massagem e até uma aula sobre as ervas locais. Almoçamos no restaurante de lá, delicioso. Não deixe de passar na farmácia com produtos Ayurvédicos. A comida no Sri Lanka é muito parecida com a da Índia, mas com mais variedade de frutas de legumes. O prato típico é o “samblo”, feito de peixe, limão, côco, cebola  pimenta, servido com arroz picante. O arroz com curry também é muito comum muitas vezes acompanhado por carne, frango ou peixe. O curry costuma ser bem picante, contendo canela, chilli, gengibre e açafrão entre outras especiarias. Um aperitivo único no Sri Lanka são os gafanhotos, servidos com ovo, mel e iogurte. O chá é a bebida preferida dos cingaleses.

 

 

Viajamos de trem até a estação de Hatton, passando por terraços de chás, altas montanhas e até cachoeiras. O trem é muito antigo, dos anos 50 e sem conforto. Recomendo esta viagem se você gosta de aventuras e não se importa em passar 3 horas desconfortáveis. Nem o visual da janela eu achei bonito… vi depois que tem uma opção para chegar em Dickoya em hidro-avião, aí sim deve ser uma experiência bem bacana.

 

 

Chegamos ao Ceylon Tea Trails, um hotel que eu estava desejando conhecer há anos. É o único hotel do mundo localizado em uma plantação de chá. O Sri Lanka é um grande produtor mundial de chá e grande exportador para os quatro cantos do mundo. O famoso Ceylon Tea. O hotel proporciona um serviço impecável, uma comida sensacional e muito conforto. Quartos enormes divididos em vários bangalôs com um mordomo à disposição!  Daqueles lugares que você não tem vontade de ir embora! A review completa do hotel você encontra no link acima, vale conferir!!!!

 

 

DIA 9 DICKOYA Dia livre para curtir o hotel, passear pelos plantações de chá em um tour que o próprio hotel oferece.

 

 

DIA 10 DICKOYA-COLOMBO Dia longo de viagem até Colombo, maior cidade do Sri Lanka, com misto de modernidade e áreas antigas. Ficamos hospedados no Galle Face Hotel, antigão e super tradicional na cidade.

 

DIA 11 COLOMBO Dia livre para conhecer um pouco mais da cidade e vôo de volta para casa. Visitei algumas lojas interessantes no THE OLD DUTCH HOSPITAL, um antigo hospital holandês transformado em shopping. Destaque para as lojas: SPA CEYLON com produtos bem legais de beleza, cremes, aromatizadores, os cheiros são deliciosos e as embalagens lindas! A loja LUV SL tem souvenires bem lindos e ótimos presentes! BAREFOOT tem tecidos bem bacanas e objetos de decoração. COLOMBO JEWELLERY tem jóias bem bonitas, destaque para os rubis. O complexo tem ótimos restaurantes também.

CURIOSIDADES DO SRI LANKA:

-Como resultado da sua colonização parcialmente lusitana, algumas palavras do idioma oficial do Sri lanka (cingalês) são em português, tais como sabão, camisa, janela, armário, bêbado, forno, entre outras.

-Para os muçulmanos, a ilha onde se localiza o Sri lanka é o local onde Adão se refugiou após  expulsão do paraíso. Por isso, o segundo pico mais alto do país é conhecido como “Pico do Adão”.

-O significado de Sri lanka é “ilha resplandescente”. A cidade mais populosa do país é Colombo e a capital é chamada Kotte.

-O país possui variados pontos turísticos, com destaque para suas belíssimas praias, cidades sagradas e reais, templos, florestas virgens e fortalezas coloniais.

-O Sri Lanka é considerado um dos mais belos tesouros da Ásia. Não é à toa que a UNESCO já certificou oito declarações de Patrimônio Mundial no país.

-A canela é uma especiaria originária do Sri lanka. Ela foi trazida para o Ocidente pelos portugueses.

 

Fotos Flavia Pires, todos os direitos reservados

Article source: http://www.flaviapiresexplora.com.br/destinos/sri-lanka-o-antigo-ceilao/

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *