Principais

Região de Foz do Iguaçu tem bar de gelo, templo, cassinos… e também cataratas

Nem só de água e cataratas faz-se uma Foz do Iguaçu. A cidade, que fica em uma das tríplices fronteiras mais agitadas do mundo, com Ciudad del Este, no Paraguai, e Puerto Iguazu, na Argentina, tem bar de gelo, templos budistas, cassinos e uma lista grande de passeios.

O Dubbi, rede colaborativa de viajantes, preparou algumas dicas do que fazer por lá com base em indicações dos usuários.

Foz do Iguaçu

Massimiliano/Wikimedia Commons

Massimiliano/Wikimedia CommonsMassimiliano/Wikimedia Commons

Templo Budista de Foz do Iguaçu

 

Templo Budista – Apesar da agitação da fronteira, o Templo Budista de Foz do Iguaçu oferece momentos de paz ao viajante. Localizado no topo de uma montanha, longe do centro, permite uma vista privilegiada de Foz do Iguaçu e da vizinha Ciudad del Este. Tem mais de 120 estátuas de buda, sendo uma delas de 7 metros de altura. A entrada é gratuita. Aberto de terça a domingo, das 9h30 às 17h. Agências de turismo fazem o passeio até lá.

Parque das Aves – Próximo às cataratas, o parque proporciona um ótimo refúgio junto à natureza, com o barulho das águas ao fundo e a brisa refrescando o calor da cidade, que gira em torno de 30ºC. Tudo isso ao som dos cantos de 1.020 aves de 150 espécies diferentes, como araras, casuar, corujas, harpias e ararajubas. Entrada de R$ 24 por pessoa. Aberto diariamente, das 8h30 às 17h.

Passeios tradicionais – Eles estão em todos os guias e roteiros de Foz. A Usina Hidrelétrica de Itaipu e o Marco das Três Fronteiras costumam fazer parte dos roteiros. Na usina, há passeios como a visita panorâmica em ônibus turístico (R$ 27), o Circuito Especial (R$ 68), Porto Kattamaram (R$ 60), Iluminação da Barragem (R$ 16), Ecomuseu (R$ 10). Um dos procurados, sem dúvida, que percorre os cartões-postais da barragem, e faz um tour pelo interior da hidrelétrica. No marco, além do obelisco que simboliza as divisões geográficas, um mirante permite ver os três países.

Romão/Panoramio

Romo/PanoramioRomo/Panoramio

Próximo às cataratas, o parque das Aves proporciona um ótimo refúgio junto à natureza

 

Puerto Iguazu

Icebar Iguazu – Bares de gelo são modinha em grandes cidades pelo mundo. O Icebar Iguazu oferece temperaturas de até -10ºC no meio da selva. Com todas as estruturas feitas de gelo, esculturas representam a fauna local e são feitas por artistas de toda a Argentina. Funciona todos os dias, das 14h às 0h. A entrada custa R$ 80.

El Quincho del Tío Querido – Toda a cidade está repleta de bons restaurantes, mas este costuma ser um dos mais frequentados pelos brasileiros. Não parece difícil adivinhar que tem ótimas carnes, servidas em generosas quantidades, além dos tradicionais vinhos argentinos, tudo isso em um salão imenso com capacidade para 400 pessoas e com música ao vivo. Pratos a partir de R$ 40.

Gran Aventura – Para o viajante aventureiro e mais radical, a dica é conhecer o parque e as cataratas pelo lado argentino. O passeio Gran Aventura tem trilhas pela selva e passeios de barcos que levam às cascatas pelo cânio do rio Iguaçu, passando pela Garganta do Diabo. Ao fim, todo mundo à bordo estará completamente molhado (a Iguazú Jungle, empresa que oferece o serviço, disponibiliza bolsas impermeáveis). Cerca de R$ 200.

Credito-Cataratas-do-Iguacu-DivulgacaoCredito-Cataratas-do-Iguacu-Divulgacao

Ciudad del Este

Cassinos – Como no Brasil os jogos de azar são proibidos, a diversão noturna com roletas, carteados e máquinas caça-níqueis tem que ser no Paraguai ou Argentina. Na cidade paraguaia, há alguns dos mais conhecidos cassinos da região, como o Gran Casino Itaipu, o mais antigo de todos, em funcionamento desde a década de 1970, que replica os cassinos de Las Vegas.

O Gran Casino Paraná também vale a visita. A casa de jogos conta ainda com boate e restaurante.

Gostaria de ver mais dicas sobre a região do Foz do Iguaçu? Veja aqui.