Destinos, Principais, Viagem

O que fazer em Montevidéu, Uruguai

A capital uruguaia, Montevidéu, é encantadora. Parece que a cidade parou no tempo, mas no bom sentido. É calma, mas tão calma que quase tudo chega aos finais de semana. Não vá para lá achando que vai encontrar uma segunda Buenos Aires. Acabará quebrando a cara.

Pequena, com uma população de aproximadamente 1,4 milhões de habitantes (menor que a população de São Paulo), Montevidéu é aquela cidade que consegue conhecer em 48 horas, pelo menos os principais pontos turísticos. Se tiver mais tempo, vai com calma e inclua outras cidades uruguaias ao seu roteiro.

O coração e a principal avenida/rua de Montevidéu é a Avenida 18 de Julio, batizada com esse nome por conta da 1ª Constituição do Uruguai, nascida no dia 18 de julho de 1830. Não espere uma via grande e super agitada, pelo contrário, é pequena e tranquila.

Avenida 18 de Julio

Logo no início dela há algumas casas de câmbio que costumam ter uma boa cotação, vale dar uma passada por lá antes de seguir caminho. Ao longo da avenida há duas atrações importantíssimas: o Mirador da Intendencia da Montevidéu e a Fuente de los Candados.

O Mirador da Intendencia é um mirante gratuito localizado no último andar da Prefeitura, com uma bela vista panorâmica da cidade. Funciona de segunda às sextas-feiras, das 10h às 16h; e nos feriados uruguaios, das 11h às 15h.

Continuando pela Avenida 18 de Julio até chegar à Plaza Independência. Lá estará o Palácio Salvo, um prédio marcante da arquitetura uruguaia. Com 95 metros de altura, foi um dos maiores aranha-céus da América do Sul por muito tempo.

No meio da praça, há a estátua do General José Gervasio Artigas, um herói nacional que lutou pela independência do Uruguai. As escadas ao lado da estátua levam ao memorial que abriga um mausoléu do general.

Aqui perto está o Teatro Solís, símbolo dos anos de ouro da capital do Uruguai, que infelizmente não tive tempo e oportunidade de visitar. Mas sei que possui visitas guiadas diariamente.

Ainda na Praça, está a Puerta de la Ciudadela, parte da muralha que um dia cercou Montevidéu e continua em pé.  

Passando pelo portal estará na Ciudad Vieja, ou seja, Cidade Velha. Durante a semana, o local é agitado como o centro de qualquer capital. Mas se você for aos finais de semana, como eu fui, espere encontrar o local vazio. Ouvi até recomendação de não passar pela região depois que anoitecer.

Se tiver com fome corra para o Mercado del Puerto, que tem vários restaurantes com as famosas carnes uruguaias. Recomendo programar o seu roteiro para que, pelo menos uma vez, passe por esse local na hora do almoço. Por ser um local turístico, o mercado não é muito barato.

Perto do Mercado del Puerto fica o Museu del Carnaval. Sim, no Uruguai também tem carnaval.

Outro lugar que é fundamental é o letreiro com o nome de Montevidéu, a margem do Rio da Prata. Ponto obrigatório para uma foto.

Outros lugares que valem uma visita

O Parque Rodó, principal área pública da cidade e fica coladinho ao Rio da Prata. De lá dá até para caminhar pela Rambla.

O Museu Andes 1972, que relembra a queda do avião com atletas uruguaios. Museu de la Memoria, que lembra os horrores da ditadura militar uruguaia. Sim, eles também sofreram com isso.

Outros passeios que podem ser interessantes (eu também não tive tempo e oportunidade de visitar) são a visita guiada ao Palácio Legislativo e a visita ao Estádio Centenário, construído para sediar a Copa do Mundo, em 1930.

Sobre o autor

Jornalista apaixonada por livros, comida e viagens