Trade

Lufthansa acusa Venezuela de reter mais de US$ 100 mi em receitas e suspende voos

Eric Salard - Lufthansa A340-600

Até a IATA foi chamada para tentar resolver o impasse

A vida na Venezuela não está nada fácil. Nesta semana, foi a vez do Grupo Lufthansa decidir suspender as operações no território dominado pelo governo de Nicolás Maduro. Além disso, a companhia aérea alemã ainda acusa a Venezuela de reter mais de US$ 100 milhões em receita provenientes de passagens aéreas, em meio a um processo polêmico e burocrático de repatriação dos valores muito por conta do alto controle cambial.

Um porta-voz do Grupo Lufthansa afirmou que o governo venezuelano deve um montante que “chega a três dígitos de milhões” de dólares. A International Air Transport Association (IATA) já foi até chamada para tentar liberar a receita retida na Venezuela. “O que queremos é manter o destino conectado. As dificuldades econômicas enfrentadas pela Venezuela apenas irão piorar se eles se manterem isolados do mundo cada vez mais, e impossibilitado de participar das trocas comerciais por conta das companhias aéreas não voarem para lá mais”, disse Tony Tyler, diretor geral da IATA.