Artigos e Entrevistas, Destinos, Economia, Educação, Viagem

Especialista dá dicas de planejamento financeiro para quem deseja aproveitar as férias de início de ano sem susto


Planejamento de férias deve ser feito com 90 dias de antecedência, juntamente com simulação de gastos

Início de ano é uma época onde muitas famílias viajam para curtir as férias escolares dos filhos. Para aproveitar esse momento sem preocupações, tendo em vista que neste período somam-se ao orçamento as contas fixas, como IPVA, IPTU, matrículas e materiais escolares, entre outros, é recomendável que a família faça um planejamento financeiro com antecedência para não gastar mais do que deveria e começar o ano sem dívidas.

O Coordenador de Cursos da Faculdade Fipecafi, Valdir Domeneghetti, afirma que o ideal é programar-se com antecedência para a viagem. “Com 90 dias de antecedência você já consegue algum tipo de promoção ou parcelamento, mas, é importante ficar atento à política de cancelamento dos hotéis/pousadas. Outra dica interessante é comparar pacotes de viagens (passagens + hospedagens), com os valores pagos separadamente. Nem sempre os pacotes oferecem as melhores opções. Dê oportunidade para conhecer novos lugares, pesquise nos sites de viagens, pois há opções interessantes, que não são tão badaladas e com valores convidativos”, completa.

Durante a viagem, também, é possível tomar algumas iniciativas para economizar. “Geralmente, em época de temporada, os empresários tem o péssimo hábito de aumentar os preços, principalmente nos restaurantes bem localizados, portanto, é recomendável escolher lugares frequentados pela população local, pois em tais estabelecimentos a tendência é que a política de valores se mantenha durante o ano todo, afinal, eles não dependem exclusivamente de turistas. Se o local escolhido for praia e seu hotel/pousada disponibilizar um bom café da manhã, você pode “pular” o almoço comendo algo na praia e optar por um jantar no próprio hotel ou centro comercial, o seu bolso e sua forma física agradecem”, recomenda.

Para o especialista, a melhor forma de evitar gastos supérfluos durante a viagem é adquirindo disciplina financeira. “Caso não controle os seus gastos, provavelmente, irá comprometer todo o ano seguinte. Lembre-se, no início do ano temos o pagamento das parcelas do IPVA, IPTU, material, matrícula e mensalidade escolares e faturas do cartão de crédito, além, dos compromissos fixos mensais, como contas de água, luz, telefone, aluguel, condomínio, supermercado, etc.. Há muitos estudos sobre as questões psicológicas envolvendo o consumo exagerado, portanto, não há mágica, é preciso ter bom senso com os gastos durante viagem de férias”, alerta.

Fazer uma simulação do quanto se pretende gastar durante o período de viagem, também, ajuda no planejamento financeiro. “Se você tiver a noção exata do que poderá gastar, não ficará tentado a comprar supérfluos, ou mesmo, não utilizará o cartão de crédito sem controle. Ao realizar o planejamento financeiro de férias, você pode relacionar as contas fixas de início de ano com as obrigações mensais e, assim, verificar se há espaço para alguma despesa sobressalente da viagem”, diz.

A forma de pagamento da viagem, também, deve ser levada em consideração. Domeneghetti afirma que o parcelamento, sem juros, é sempre uma boa opção, desde que a parcela se encaixe no orçamento mensal. “Se o valor da parcela extrapolar o que você recebe de salário, comissões, aluguéis ou outras rendas, é um forte indício que sua viagem e os gastos da mesma não deveriam ter ocorrido ou ele foi superdimensionado, ou seja, você gastou mais do que deveria. O cartão de crédito é um instrumento de pagamento interessantíssimo, desde que a pessoa utilize-o de forma racional. Por exemplo, quando você paga com o cartão, aqueles pagamentos transformam-se em pontos e você pode transferir para programas de milhas, tornando-se um círculo virtuoso. Por outro lado, se você utiliza o cartão e depois não tem recursos para pagá-lo no vencimento, será necessário recorrer ao pagamento mínimo e incorrerão juros altíssimos, tornando-se um círculo vicioso”, alerta.

O programa de milhas pode ser uma opção na hora de comprar as passagens. “Os programas de milhas são ótimas opções, atualmente, você pode acumular as milhas com viagens, gastos com cartões de crédito, compras diversas, ou mesmo, comprando as milhas. Neste último caso, é necessário fazer uma simulação para ver se vale a pena efetuar a compra. Há casos em que você não tem todo o saldo de milhas para adquirir as passagens aéreas, então, o saldo que falta, pode ser adquirido e você pagará as passagens com milhas e dinheiro. Esta pode ser uma alternativa interessante”, complementa.

Para quem pretende se planejar para as férias do próximo ano, o ideal é que façam uma planilha com o orçamento familiar. “Na primeira coluna da planilha marque o que a família ganha (salários, ganhos extras, etc.). Geralmente, na maioria dos casos haverá uma ou duas linhas. Na próxima coluna, relacione os pagamentos/gastos da família, como aluguel, água, luz, telefone, etc. Pode-se imaginar que pela quantidade de itens a serem relacionados, muitas linhas serão preenchidas. Na última coluna, inclua a linha “viagem de férias”, separando uma quantia de dinheiro mensalmente. Assim, no final de 2019, você terá um valor, que se não for o total, ajudará bastante na hora de programar as férias”, finaliza Domeneghetti.

Em anexo segue um exemplo de planilha disponível para download.

Sobre a Fipecafi:
A Fipecafi foi fundada em 1974 por professores do Departamento de Contabilidade e Atuária da FEA/USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo) e atua desde então como órgão de apoio institucional ao departamento. Dentre seus principais objetivos estão: a missão de desenvolver e promover a divulgação de conhecimentos da área contábil, financeira e atuarial, organizar cursos, seminários, simpósios e conferências, prestar serviços de assessoria e consultoria e realizar pesquisas, atendendo entidades dos setores público e privado. Mais informações: http://www.fipecafi.org.