Vinho e Viagem

Enoturismo na Bairrada leva “dianteira” em relação a outras regiões

Um dos pilares do trabalho promocional feito na região da Bairrada está na Rota que tem o seu nome. Um desempenho feito por órgãos diretivos de uma Associação, liderada por Jorge Sampaio, que conta com dois espaços de mostra de produtos – Curia e Oliveira do Bairro – e que vai a caminho do terceiro.

Começou em 2006 com dezasseis associados e hoje conta com setenta e cinco, entre hotéis e restaurantes. Um trabalho em rede que Jorge Sampaio elogia: “Quem vai às lojas da Rota encontra promoção de toda a região: vinhos, cultura, hotelaria, restauração, património,…”.

E para que “ela” seja conhecida e bem divulgada é nestes agentes que o presidente da direcção da Rota da Bairrada diz “investir”. “Trazemos muitas vezes à região os colaboradores de várias entidades para que na hora de divulgar os nossos produtos saibam do que estão a falar”, explica Jorge Sampaio, lamentando: “Não há nada pior do que chegarmos a um local e darem-nos um mapa para a mão”.

Por isso, na hora de dar números estatísticos do número de visitações a Caves e Adegas, o presidente da Rota é assertivo: “Passámos de quarenta mil visitas, por ano, para duzentos e setenta mil”. Uma tónica que coloca também nos produtores que souberam “reinventar-se”. “A Bairrada tem o dom de ser a região onde melhor se consegue congregar duas gerações diferentes: aquela dos pais que têm o saber empírico, ‘do era assim que se fazia’; com a da fantástica ‘lufada de ar fresco’ destes novos enólogos, com muito boa formação académica, que trouxeram à região novos métodos, conhecimentos e informações científicas”, explicou, enaltecendo que “hoje a Bairrada é conhecida por vinhos de grande qualidade”.

DSC04017E se o trabalho até aqui tem vindo a dar frutos, há também o reverso da medalha “de muito ainda haver para fazer”. “A nível nacional pode dizer-se que a Bairrada leva um bocadinho a dianteira quando se fala em enoturismo, mas internacionalmente é preciso mais”, garante Jorge Sampaio, referindo que aqui a estratégia passa por se aparecer “com a marca Rota dos Vinhos de Portugal para todos – Bairrada, Dão, Douro,… – podermos ganhar escala internacional”.

Um caminho em aberto, mas que, quando comparado com o número de visitações aos espaços da Rota na Curia e em Oliveira do Bairro, pode traduzir o sucesso futuro desta questão. “Temos pessoas a vir de propósito de Aveiro comprar vinhos a Oliveira do Bairro e, na Curia, os turistas já criaram o hábito de ir, estar e comprar na Rota. Muitos deles – portugueses e estrangeiros – ficam até fidelizados à nossa loja online”, enalteceu, garantindo que brevemente abrirá um espaço da Rota na antiga Estação de comboios de Aveiro, “onde estarão em destaque os ovos moles, o sal e os produtos da Bairrada”.

Também no próximo dia 1 de junho se realiza, na mesma cidade, a “Cerimónia de Elogio à Região”, numa parceria da Comissão Vitivinícola da Bairrada, da Rota e da Confraria dos Enófilos. “São estas, e muitas outras, iniciativas que fazem crescer a nossa região ao nível da divulgação”, concluiu.

 

Mónica Sofia Lopes