Trade

Em plena expansão nos EUA, Norwegian passa a recrutar pilotos norte-americanos

norwegian-air

Expansão da Norwergian nos EUA já foi alvo de polêmica

Se tem algo que tira o sono das companhias norte-americanas atualmente, é o atual “roubo” do marketshare de voos internacionais provocado por melhores tarifas, equipamentos e atendimentos ofertados por empresas low-cost europeias, como Ryanair, easyJet e Norwegian, e as localizadas no Golfo que recebem a classificação Premium, como Etihad, Emirates e Qatar AIrways. Ultimamente, é a expansão da Norwegian Air que vem colocando as pulgas atrás das orelhas dos executivos de American, Delta e United, conhecidas como Big 3 da América do Norte.

A companhia, que é foco de protestos nos Estados Unidos por conta desta rápida expansão, agora decidiu aprontar mais uma, algo que influenciará diretamente a economia norte-americana: a criação de postos de trabalho para pilotos. Até então, as companhias de fora dos Estados Unidos só criavam vagas de trabalho para as equipes de solo e para certos comissários de bordo, mas a Norwegian agora decidiu inovar e ir atrás da experiência norte-americana para comandar suas aeronaves.

Apoiada em uma frota de B787 Dreamliners, a Norwegian Air se tornaria a única companhia europeia a contratar pilotos norte-americanos, que ficariam baseados principalmente nas cidades de Fort Lauderdale e Nova York. Para se ter uma noção da força motriz de uma companhia aérea internacional dentro de um país, a Norwegian pretende chegar a 500 norte-americanos contratados até o fim do ano somente para a função de comissário. Para o CEO Bjorn Kjos, a expectativa é que até 100 pilotos norte-americanos sejam contratados “só para começar”.

“Contratar pilotos baseados nos Estados Unidos para nossas operações internacionais tem sido uma de nossas metas desde que lançamos rotas transatlânticas há três anos, e agora estamos contentes por finalmente estarmos disponíveis para investir neste plano”, disse o diretor Operacional Asgeir Nyseth.