Principais, Sem categoria

Carnaval deve atrair 6,77 milhões de turistas brasileiros, aponta …

domingo 1 de fevereiro de 2015 – 11:00 AM

Da Redação / portal@d24am.com

<!–2:45
–>
A capital do Rio deverá receber 977 mil pessoas, ou 28% do total da temporada de verão, atraídas pela folia. Foto: William Volcov/Brazil Photo Press 

Rio de Janeiro – Durante o carnaval deste ano, 6,77 milhões de turistas brasileiros deverão circular pelo País, gastando R$ 6,66 bilhões, principalmente nos Estados de Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco e Bahia. Se as previsões do Ministério do Turismo se confirmarem, haverá crescimento de 2,6% no número de visitantes e de 8,2% no faturamento em relação ao carnaval do ano passado. Em 2014, a maior festa popular brasileira levou 6,6 milhões de turistas a viajarem pelo País e a gastarem R$ 6,1 bilhões. As informações foram publicadas no jornal O Globo.

Os números são de levantamento feito pelo Ministério do Turismo, que considera o período que vai de 13 a 18 de fevereiro (da sexta de carnaval até a Quarta-Feira de Cinzas). Segundo a pasta, esse período de seis dias representa 3% do faturamento anual da indústria de viagens e turismo no País. Em 2015, cada turista deverá desembolsar, em média, R$ 984,76.

Somente o Estado do Rio, com 456 blocos de rua, além do tradicional desfile de escolas de samba, deverá atrair 1,3 milhão de turistas durante o carnaval, com um impacto financeiro de R$ 1,27 bilhão. O destaque é da capital: o ministério estima que a cidade sozinha receberá 977 mil pessoas, ou 28% do total da temporada de verão. Destacam-se também outras cidades, como Búzios, Cabo Frio, Petrópolis, Angra dos Reis e Paraty. Os turistas são principalmente de São Paulo, Minas Gerais e do interior do Rio.

Segundo o ministro do Turismo, Vinicius Lages, o mau momento da economia não será suficiente para frear o crescimento do setor.

“Os números são positivos do ponto de vista da movimentação, de ocupação dos assentos em aeroportos. No geral, o turismo cresce mais do que a economia brasileira, do que o PIB (Produto Interno Bruto). Tem setores que cresceram muito mais, cinco, seis vezes, até mais. O setor de eventos no ano passado cresceu muito mais. Este carnaval normalmente já está vendido há um tempo. Então, não tem reflexo (o mau momento da economia), mesmo que tenha medidas que no curto prazo afetem a propensão de viajar. O Carnaval é inevitável, já estava vendido, ele acontece de toda forma”,  disse Lages, ele mesmo um entusiasta da festa, já tendo ido 18 vezes ao Carnaval do Recife e de Olinda.

Em São Paulo, destacam-se a capital e as cidades litorâneas do Guarujá, Ubatuba e Ilhabela. No Estado, o Ministério do Turismo estima 988 mil turistas e um impacto econômico de R$ 970,4 milhões.

Em Pernambuco, as cidades de Recife, Olinda, Cabo de Santo Agostinho e Porto de Galinhas são os destinos preferidos. Os 871 mil turistas que vão movimentar a economia local com R$ 858,3 milhões. Quando considerados também os excursionistas, ou seja, viajantes que não chegam a dormir na cidade que visitam, o número pula 1,4 milhão de visitantes.

Na Bahia, são esperados 707 mil turistas, principalmente em Salvador, Porto Seguro e Costa do Sauípe. Eles deverão movimentar R$ 697,4 milhões.

Quatro Estados receberão metade do fluxo

Juntos, Rio, São Paulo, Pernambuco e Bahia representam mais da metade dos turistas que vão viajar durante o carnaval: 3,866 milhões, ou 57% do total. Outros locais com festejos, e também cidades onde a festa não é tradicional, também receberão turistas. O próprio Ministério do Turismo já publicou em seu site dicas de locais para quem quer curtir outros programas ou apenas ter sossego durante o Carnaval. As sugestões incluem festival de rock em Curitiba, visitas a museus em Belo Horizonte, compras em Foz do Iguaçu (PR), ecoturismo em Bonito (MS), na Chapada Diamantina (BA), e na Chapada dos Veadeiros (GO).

Empregos

Em 27 de janeiro, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou que a expectativa do setor turístico era criar 35,5 mil postos de trabalho temporário neste verão em todo o País. Segundo a CNC, isso representa um aumento de 1,1% na comparação com igual período de 2014. A entidade diz que o verão é responsável por 72% das vagas temporárias criadas no setor turístico.

De acordo com a CNC, o segmento mais impactado é o de alimentação fora de casa, com 18,9 mil vagas, ou 53,4% do total, seguido pela hospedagem, com 10,9 mil postos (30,7%). Mas é no terceiro colocado, o segmento de transportes, com 2,8 mil vagas, que há a maior remuneração: R$ 1.561. Em todo setor, a média deve chegar a R$ 1.150, um avanço de 3,6% em relação ao ano passado. No geral, os trabalhadores do setor são mais qualificados e mais jovens que a média.

Sobre o autor

Mãe, jornalista, contadora de histórias e viajante apaixonada. Viajar para mim é vivenciar a paisagem, admirar os povos e experienciar com os cinco sentidos o destino. Sou apaixonada por histórias pois para mim elas dão alma aos lugares, então sempre trarei para você um pouquinho dessa alma que encontrar por aí.