Principais

7 destinos para amantes da boa mesa

Pensando em fazer uma viagem gastronômica? Confira as dicas das sete cidades que a momondo, metabuscador global de viagens, selecionou com sugestões para agradar todos os paladares. Para aqueles que acham que uma boa mesa é motivo suficiente para viajar meio mundo, esta é, com certeza, uma lista de lugares imperdíveis.

1 – Comida de rua (Hanói, Vietnã)

best-foodie-destinations-working-title-01best-foodie-destinations-working-title-01

Vietnã é a Meca da comida de rua. No meio do tráfego atordoante, dos terraços tranquilos e dos mercados barulhentos da capital vietnamita, em Hanói, o turista encontra vendedores ambulantes, carrinhos de comida e cafeterias improvisadas em cada canto –todos servindo especialidades genuinamente frescas, prontas para serem devoradas na hora.

A dica aqui é andar e comer várias vezes e em pequenas porções.

Sente em pequenos bancos de plástico para saborear um “banh bao” quente e fofo, recheado com porco marinado, pare em uma barraca de esquina para provar o arroz glutinoso infuso em raiz de lótus ou faça um passeio culinário e deixe um guia especialista te levar pelas ruas movimentadas e becos escondidos para encontrar o melhor lamen com carne da cidade.

A cultura de cafeteria em Hanói pode ter se originado dos franceses, que trouxeram o café no século 19. Mas eles certamente criaram sua própria cultura. Experimente o “ca pha trang” no Café Giang, um café tradicional feito com claras de ovo –é como beber tiramisu cremoso em uma xícara.

2 – Vegano (Berlim, Alemanha)

best-foodie-destinations-working-title-02best-foodie-destinations-working-title-02

Se a preferência é por um banquete de produtos cultivados de forma sustentável, sem traços de ingredientes de origem animal, o destino certo é a capital da Alemanha.

Bem no meio de um país famoso por seu amor à salsicha bratwurst, a cidade de Berlim é repleta de opções para vegetarianos e veganos e oferece um cenário culinário tão diverso quanto a população internacional da cidade.

Com uma rede de supermercados totalmente vegana, o vöner (combinação das palavras vegano e döner, um prato a base de carne) e a primeira ‘avenida vegana’ do mundo, a capital alemã é um verdadeiro paraíso herbívoro.

Saboreie sua dose de fast food com os lendários hambúrgueres veganos do Sun Day, reserve uma mesa no Lucky Leek para um fino jantar vegano ou refresque-se com um sorvete no Der Eisbärliner.

3 – Incomum (Tóquio, Japão)

the-7-best-cities-for-food-lovers-02the-7-best-cities-for-food-lovers-02

Se a ideia é sair da zona de conforto culinário, as experiências gastronômicas bizarras que Tóquio oferece são únicas. A metrópole japonesa é conhecida por seu atendimento nada convencional: o turista pode receber seu prato algemado em uma cela de prisão, ser servido por robôs ou comer no banheiro (sim, você leu certo).

Quando se trata de guloseimas incomuns, o Japão se orgulha de ser a mente brilhante por trás dos biscoitos de vespa, sanduíches de algas e sorvete de polvo. Gostaria de uma limonada ao curry para acompanhar?

4 – Rico em açúcares (Paris, França)

the-7-best-cities-for-food-lovers-03the-7-best-cities-for-food-lovers-03

Nada proporciona prazer comparável aos dos pratos parisienses. A verdade é que, para os aficionados por doces, fica difícil errar em Paris –a cada cem metros há uma vitrine cantando sua ode à gula.

Para uma experiência do outro mundo, há alguns lugares extraordinários. Na Angelina formam-se filas ao redor do quarteirão por causa do seu famoso chocolate quente. O Jacques Genin faz um mil-folhas “à la minute” tão delicado que o chamam de “Picasso dos doces”. Pedir maracons no chique Ladurée, a pâtisserie responsável pelos confeitos clássicos apresentados no filme Maria Antonieta, de 2006, não é nada diferente de compras joias finas e raras.

Jean-Paul Hévin é o mestre quando o assunto é chocolate e ninguém pode dizer que viveu de verdade até ter experimentado o “pièce-de-resistance”, de Pierre Hermé, assim como o croissant “Ispahan”, uma massa com amêndoa, framboesa e lichia coberta com pétalas de rosas em doce que é uma verdadeira iguaria.

 5 – Slow Food (Florença, Itália)

the-7-best-cities-for-food-lovers-04the-7-best-cities-for-food-lovers-04

Pergunte a um italiano: qual é a melhor cidade da Itália para comer? E eles, provavelmente, apontarão na direção da cidade onde nasceram e cresceram. Se tiver tempo, o melhor mesmo é atravessar o país experimentando todas as iguarias regionais, como Risotto alla Piemontese, Stecchi alla Genovese e Saltimbocca alla Romana.

Mas se tiver que optar por um destino, então embarque para a idílica Toscana, que fica no coração do talento italiano para cozinhar e comer lentamente e para aquele maravilhoso dolce far niente.

Siga para Florença e aprecie todo “prosciutto, pecorino e pappardelle” que puder aguentar, mas sem abrir mão de provar uma suculenta bistecca fiorentina, uma delícia que geralmente pesa cerca de 1 kg (talvez precise de companhia para ajudar).

 6 – Festivais de gastronomia (Nova York, EUA)

the-7-best-cities-for-food-lovers-07the-7-best-cities-for-food-lovers-07

Não é surpresa que New York tem programas gastronômicos inusitados o ano inteiro. De uma competição de comidas apimentadas a um festival de ‘jerk jamaicano’, de uma feira de livro de receitas a um workshop de sorvetes e rallies de food trucks, esta é uma cidade que sabe como celebrar sua culinária.

Algumas dicas: Os mercados de fim de semana Smorgasburg, no Brooklyn, vendem comidas deliciosas de todas as cozinhas do mundo que imaginar e o mercado culinário Broadway Bites promove artesanato local e pequenos negócios.

No Food Film Fest, é possível saborear os pratos apresentados nos filmes enquanto os assiste e no gigantesco NYC Wine Food Festival o desafio é escolher entre opções como aprender a fazer muçarela, jantar com um chef célebre ou desfrutar um champanhe e frango frito no Central Park.

 7 – Mercados (Cidade do México, México)

the-7-best-cities-for-food-lovers-05the-7-best-cities-for-food-lovers-05

Perder-se entre os compradores regulares e as filas de produtos em um mercado da cidade é uma das melhores formas de testemunhar a cultura local e a vida diária da capital mexicana.

Com mais de 300 mercados espalhados em diferentes bairros, a Cidade do México é um convite para quem gosta de visitar estes templos da gastronomia, como o Mercado de la Merced, localizado nos terrenos de um antigo monastério no centro histórico e um dos favoritos desde os tempos coloniais, onde é possível encontrar de tudo – de “cactus a chicarróns”. Já o Mercado de San Juan é o local preferido dos chefs e apreciadores para comprar ingredientes raros e produtos importados.

A joia da coroa é La Central de Abasto, o maior mercado de atacado do mundo que oferece incontáveis opções de frutas, vegetais, queijos salgados de Oaxaca –empilhados perigosamente altos em cordas para atrair a atenção dos compradores–, e uma oferta aparentemente interminável de tostas, tamales e tortillas. Aproveite!